A DECLARAÇÃO BALFOUR

                                                                                                                    

        A Declaração Balfour, ocorrida no dia 2 de novembro de 1917, foi a primeira manifestação oficial emitida por uma potência a favor da criação de um lar nacional judaico em Eretz Israel. Esta conquista de tanta significação, para as esperanças sionistas, despertou, em sua época um vibrante entusiasmo no mundo judaico.

        A Palestina, sob domínio do império turco até a guerra de 1914, converteu-se nesses trágicos dias num campo de batalha. Os exércitos ingleses invadiram a Terra Santa para libertá-la dos turcos, e ,em virtude dos combates, a obra já realizada pelos sionistas sobre o solo de Israel foi, em grande parte, devastada.

        Tendo encontrado no governo inglês ouvidos mais atentos às reivindicações de uma pátria judaica, e levando em conta que os interesses da Grã-Bretanha no Canal de Suez seriam favorecidos pela vizinhança de um povo amigo, os dirigentes sionistas iniciaram com afinco suas gestões em prol do reconhecimento de suas aspirações por parte do governo inglês. Desta vez seus esforços tiveram êxito, e a tão ansiada declaração foi feita pelo ministro Arthur James Balfour numa carta dirigida em 1917 ao barão de Rothschild.

        Esta famosa declaração foi aprovada pela França, Itália, Estados Unidos e outras potências filiadas à Liga das Nações, entre elas vários paises sul-americanos. Com ela, a campanha sionista recebia um estímulo de inestimável valor, cujos resultados logo se evidenciaram pela multiplicação das colônias em Eretz Israel e pelo desenvolvimento industrial e cultural do país.

        Arthur James Balfour, também conhecido como o Primeiro Conde de Balfour (1848-1930) foi Primeiro Ministro Britânico entre 1902 e 1906 e ministro do exterior de David Lloyd George, de 1916 a 1919.

Declaração Balfour

Ministério das Relações Exteriores
2 de novembro de 1917

Prezado Lord Rothschild,

        É com grande prazer que envio a Vossa Senhoria, em nome do Governo de Sua Majestade, a seguinte declaração de simpatia com as aspirações judaico-sionistas, que foi submetida e aprovada pelo ministério.
        "O Governo de Sua Majestade vê com bons olhos o estabelecimento na Palestina de um Lar Nacional para o Povo Judeu e fará seus melhores esforços para facilitar a realização deste objetivo, ficando claramente entendido que nada deve ser feito que possa prejudicar os direitos civis e religiosos das comunidades não-judaicas existentes na Palestina, ou os direitos e status político disfrutado pelos judeus em qualquer outro país."
        Ficaria agradecido se Vossa Senhoria levasse esta Declaração ao conhecimento da Federação Sionista.

Sinceramente,
Arthur James Balfou
r

 

 

 

CHAZIT HANOAR

Chazit Hanoar

Porto Alegre

 PORTO ALEGRE