Remá

          

Rabi Moshé Bem Israel Isserles (Remá) nasceu em Cracóvia, na Polônia, no ano de 1525. É considerado o “Maimônides” dos judeus poloneses, pois foi um dos maiores estudiosos do seu país. Era filho de um talmudista famoso, além de muito rico, e provavelmente chefe da comunidade.

Foi estudar em uma Ieshivá em Lublin, com o rabino da cidade, Shekna Shalom, que mais tarde viria a se tornar seu sogro. Sua esposa morreu muito cedo, e em sua homenagem Isserles fundou uma sinagoga, no local onde ficava a casa que seu pai tinha lhe dado de presente. Hoje em dia essa construção está preservada, sendo conhecida como a Sinagoga de Remá.

Em 1550 voltou à Cracóvia, onde fundou uma grande ieshivá. Ensinava aos seus alunos a simples interpretação do talmud, ao invés do pilpul, um método que exige a intensa análise dos textos talmúdicos.

Se tornou um erudito conhecido mundialmente, vindo a ser consultado por rabinos muito experientes para a tomada de decisões Halachicas. Virou a autoridade máxima em Halachá na Europa, além de ter estudado também a Cabala.

Sua obra mais conhecida é HaMapá (A toalha) Le Shulchan Aruch, que consiste em um comentário sobre o livro de Yosef Caro, Shulchan Aruch (Mesa posta). O Shulchan Aruch é um “manual” da Halachá, a lei judaica. O livro escrito por Remá, HaMapá, é um complemento, uma vez que Caro enumera costumes sefaraditas que em muitos casos diferem dos Ashkenazis. Através desse “brilho” adicionado por Remá, o Shulchan Aruch tornou-se um código de leis para todos os judeus do mundo.

            Remá faleceu em Cracóvia, em 1572, e foi enterrado em um cemitério ao lado da sua sinagoga. Em sua lápide está escrito “De Moshé (Maimônides) a Moshé (Issereles), não houve ninguém como Moshé”.  O cemitério foi destruído durante a segunda guerra mundial, sendo restaurado após. Até hoje milhares de peregrinos vão até o túmulo de Remá, onde deixam bilhetes, contendo pedidos e orações. Cabe notar que a data mais comum para essas visitas e pedidos (em especial até a 2ª guerra mundial) ocorria em Lag Baómer que é também o yahrzeit (aniversário da data de falecimento).

Remá é dos rabinos chamados ‘Acharonim’ (últimos). Os Acharonim são os grandes rabinos e comentaristas da lei judaica que viveram ou realizaram suas obras no período pós Shulchan Aruch até os dias de hoje.                                                                                                                                                                                                             

Túmulo de Remá

CHAZIT HANOAR

Chazit Hanoar

Porto Alegre

 PORTO ALEGRE