DAVID BEN-GURION (1886-1973)

                                                                                                            David Ben-Gurion nasceu em Plonsk, na Polônia, em 1886 e foi educado numa escola judaica, criada pelo seu pai, um fervoroso sionista. No meio de sua adolescência, Ben-Gurion liderou a criação de um movimento sionista chamado “Ezra”, cujos membros falavam somente hebraico entre eles. Aos 18 anos ele tornou-se professor na Escola Judaica de Varsóvia e se filiou ao grupo sionista-socialista “Poalei Tzion” (trabalhadores de Sion). Chegando na Terra de Israel em 1906, ele envolveu-se na criação a primeira comunidade socialista de agricultores (Kibutz), e ajudou a estabelecer um grupo de autodefesa judaico chamado “Hashomer”.

        Com o estouro da Primeira Guerra Mundial ele foi deportado pelas autoridades do Império Otomano junto com Ytzhak Ben-Zvi (que após se tornaria o segundo presidente de Israel). Ben-Gurion viajou levando a causa Socialista-Sionista para Nova Iorque, onde encontrou Paula Monbesz, que era sua companheira como ativista do Poalei Tzion. Ele voltou para Israel usando o uniforme da “Legião Judaica”, criada como uma unidade no exército britânico pelo líder sionista de direita Wladimir Jabotinsky.

Ben-Gurion foi fundador de sindicatos e em particular a federação nacional dos sindicatos de trabalhadores, a “Histadrut”, organização que ele liderou no início dos anos 20. Ele também representou a Histadrut na Organização Sionista Mundial e foi eleito presidente das duas instituições em 1935.

Tendo liderado o esforço para estabelecer o Estado de Israel em maio de 1948, Ben-Gurion tornou-se primeiro-ministro e ministro da defesa de Israel. Como Premier ele foi responsável pela criação das instituições do moderno estado de Israel e foi ministro da defesa durante a Guerra de Independência. Ele presidiu muitos projetos nacionais que visavam um desenvolvimento rápido do país e de sua população como: a “Operação Tapete Mágico”, o transporte aéreo de judeus de países árabes, a construção do aqueduto nacional, projetos de desenvolvimento rural e o estabelecimento de novas cidades. Sobretudo, ele criou um projeto pioneiro de colonização de áreas inabitadas, especialmente no Neguev.

No final do ano de 1953, Ben-Gurion retirou-se do governo e foi morar no kibutz Sde Boker no deserto do Neguev. Ele voltou a vida política após as eleições do Knesset (parlamento) em 1955,  assumindo o posto de ministro da defesa e após voltando a assumir o cargo de primeiro-ministro.

Nesse segundo mandato como premier, Ben-Gurion estabeleceu relações diplomáticas com a Alemanha Ocidental, apesar de ferrenha oposição. Ele também liderou o país na Guerra do Sinai, na qual o exército israelense temporariamente ocupou a península do Sinai.

            Em Junho de 1963 Ben-Gurion renunciou como Primeiro-ministro, citando motivos pessoais. Levi Eshkol entrou em seu lugar, como premier e ministro da defesa. Entretanto, Ben-Gurion permaneceu ativo politicamente, desenvolvendo uma rivalidade com Eskhol. Em junho de 1956, o maior partido de esquerda de Israel na época, do qual Ben-Gurion fazia parte, o Mapai se dividiu, então Ben-Gurion criou o Rafi, que ganhou dez cadeiras no Knesset na eleição seguinte. Em 1968, Rafi voltou a se juntar ao Mapai e junto com o Ahdut Ha'avoda, criaram o Partido Trabalhista de Israel (Avodá), enquanto Ben-Gurion formou um novo partido, o Hareshima Hamamlachtit, que ganhou quatro cadeiras no Knesset em 1969.

            Em junho de 1970, Ben-Gurion retirou-se da vida política e voltou ao Sde Boker, onde morreu em 1973.

CHAZIT HANOAR

Chazit Hanoar

Porto Alegre

 PORTO ALEGRE