ISAAC BASHEVIS SINGER (1904-1991)

                                                             

        Nascido na Polônia, em Radzymin, em 14 de julho de 1904, em uma família de rabinos, Isaac Bashevis Singer era um dos quatro filhos do rabino Pincus Menachem e Bathsheba Zylberman. A juventude de Singer nos shtetls da Polônia foi marcada pelo Chassidismo. Ele foi educado em escolas judaicas e chegou a estar escrito em um seminário rabínico. Quando ele tinha quatro anos, sua família mudou-se para Varsóvia, onde seu pai, um estudioso Chassídico, estabeleceu uma Beth Din (corte rabínica).

        Em 1917, Singer mudou-se com sua mãe para a casa de sua avó, em uma pequena vila. Ali ele aprendeu sobre a vida judaica no shtetl, o que acabaria tornando-se um dos tópicos favoritos de seus romances e contos.

        No começo dos anos 20, Isaac voltou para Varsóvia para juntar-se a seu irmão maior, Israel Iosef, que escreveria “Os Irmãos Ashkenazi” e “Yoshe Kalb”. Singer juntou-se aos seus irmãos apesar dos protestos de seus pais, que queriam que ele se tornasse rabino. Em Varsóvia, obteve um emprego de corretor numa revista literária ídishe. Interessado em escrever, primeiramente tentou escrever em hebraico, mas como este era usado somente para orações, passou a escrever em ídishe.

        Em 1926, Bashevis Singer escrevia contos e críticas de livros. Em 1932, ele tornou-se editor da Globus, uma revista literária ídishe. Em 1935, abandou sua primeira esposa, Raquel e seu filho, Israel, para emigra para os EUA, juntando-se a seu irmão maior em Nova Iorque, onde tornou-se escritor da “Jewish Daily Forward”. Muitos de seus romances foram publicados, em forma de série na “Forward” e, em 1950, seu romance “A Família Moskat” foi traduzido para o inglês. Singer tornou-se instantaneamente famoso e recebeu o Prêmio Louis Lamed. Uma tradução italiana rendeu-lhe, em 1968, o Prêmio Bacarella.

        Muitas das obras de Singer refletiram suas experiências de jovem na Polônia. O shtetl, o folclore, o misticismo, o sobrenatural e a religião eram seus temas. Ele também escreveu estórias para crianças e foi aclamado por “Zlateh, a Cabra e Outras Estórias”, um livro infantil sobre animais crianças e criaturas sobrenaturais.

        Após ter se divorciado de Raquel, Isaac casou-se com Alma Heimann, uma refugiada da Alemanha. Singer e Alma adoravam animais e passava bastante tempo nos parques alimentando os pássaros.

        Singer era um membro da União de Escritores I. L. Peretz, da Academia Judaica de Artes e Ciências, do Instituto Polonês de Artes e Ciências na América e do Instituto Americano de Artes e Ciências. A obra de Singer, em ídishe, premiada com o Nobel de literatura em 1978, que foi traduzida para várias línguas – inglês, finlandês, alemão, português, francês... – o tornou uma lenda da literatura ídishe.

        Isaac Bashevis Singer morreu em 24 de julho de 1991, aos 87 anos, em decorrência de uma série de ataques cardíacos.

Para saber mais: http://www.morasha.com.br/conteudo/artigos/artigos_view.asp?a=145&p=1 

CHAZIT HANOAR

Chazit Hanoar

Porto Alegre

 PORTO ALEGRE